sexta-feira, 18 de setembro de 2009

... metade de mim...

... Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo. ...

in "Metade"
de Oswaldo Montenegro

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Colhe todo o oiro...


Colhe todo o oiro

Colhe

todo o oiro do dia

na haste mais alta

da melancolia.

Eugénio de Andrade