terça-feira, 23 de novembro de 2010

Como o florir das ondas ordenadas...



Que nenhuma estrela queime o teu perfil

Que nenhum deus se lembre do teu nome

Que nem o vento passe onde tu passas.

Para ti criarei um dia puro

Livre como o vento e repetido

Como o florir das ondas ordenadas


Sophia de Mello Breyner

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

A SOCIEDADE...

A SOCIEDADE É ASSIM:
O Pobre, trabalha,
o Rico explora-o,
o Soldado defende os dois,
o Contribuinte paga pelos três,
o Vagabundo descansa pelos quatro,
o Bêbado bebe pelos cinco,
o Banqueiro "esfola" os seis,
o Advogado engana os sete,
o Médico mata os oito,
o Coveiro enterra os nove
... e o Político vive dos dez.
[Texto (actual) de um azulejo antigo -Toledo]